Maio 2024

Universidade de Coimbra aposta na regeneração de óleos lubrificantes usados através de CO2 de instalações industriais

2024-05-09T09:49:49+00:00

Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) está a desenvolver uma tecnologia sustentável para a regeneração de óleos lubrificantes usados, através de dióxido de carbono (CO2) de instalações industriais. O projeto Regeneration of used lubricant oil by supercritical CO2 - a process towards circular economy and environmental health (NeWLOife), um dos vencedores da 4.ª edição dos Prémios Semente de Investigação Científica Interdisciplinar da Universidade de Coimbra, está a ser desenvolvido em parceria com a Sogilub - Sociedade de Gestão Integrada de Óleos Lubrificantes Usados, Lda. e pretende reduzir o elevado impacto ambiental dos óleos lubrificantes usados e criar um produto de alta qualidade capaz de ser reintroduzido no seu ciclo de vida útil. «Os óleos lubrificantes usados são altamente poluentes, mas podem ser também um recurso, uma vez que são derivados do petróleo. Ou seja, se tivermos a possibilidade de regenerar eficazmente aquele que já existe em vez de utilizar óleo novo, é, naturalmente, uma mais valia. Se, adicionalmente, pudermos aproveitar o dióxido de carbono das indústrias para o processo de regeneração, podemos atingir uma pegada negativa», acredita Cecília Santos, investigadora do Departamento de Química da FCTUC e coordenadora do projeto. [...]

Universidade de Coimbra aposta na regeneração de óleos lubrificantes usados através de CO2 de instalações industriais2024-05-09T09:49:49+00:00

Investigadores da Universidade do Minho aceleram a procura da nova física

2024-05-07T13:35:46+00:00

No CERN - Laboratório Europeu de Física de Partículas (Suíça) há cerca de seiscentos milhões de colisões de protões por segundo e todos estes dados são analisados por dezenas de milhares de cientistas de todo o mundo. Miguel Caçador e Gabriela Oliveira, alunos do mestrado em Engenharia Física da Universidade do Minho, propõem acelerar esse processo ao aplicar inteligência artificial num computador quântico, para detetar novos eventos na física (ajudando a decifrar o universo) e para compreender melhor a tecnologia quântica. O seu estudo saiu na conceituada revista Frontiers in Artificial Intelligence. Os alunos investigam no Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas da Escola de Ciências da UMinho (LIP-Minho), orientados pelo professor Nuno Castro. Primeiro, reúnem grandes quantidades de dados que simulam eventos de física (como choques de protões) de experiências do CERN. Depois, usam técnicas de pré-processamento de forma a poderem classificar os dados com técnicas de quantum machine learning (QML). Focam-se em especial na física de altas energias e na sua aplicação para procurar novos fenómenos de física, isto é, processos não previstos pelo modelo padrão da física de partículas. Encontrar uma agulha num palheiro “Pegamos em técnicas que são desenvolvidas na área da computação quântica e [...]

Investigadores da Universidade do Minho aceleram a procura da nova física2024-05-07T13:35:46+00:00

Universidade de Coimbra estuda aplicação de microalgas para tratamento de efluentes de ETARs e geração de biocombustíveis

2024-05-06T13:36:01+00:00

O Departamento de Ciências da Vida (DCV) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), em colaboração com a Algoteca da UC (ACOI), está a estudar a aplicação de microalgas para tratamento de efluentes de estações de tratamento de águas resíduas (ETARs) e geração de biocombustíveis. O projeto “Application of microalgal and fungal biomass for the treatment of anaerobic digestion effluents and production of the 3d generation biofuels” é da autoria de Ewelina Sobolewska, aluna de doutoramento na Lodz University of Technology, na Polónia, que realizou a fase final do curso em Coimbra. «Atualmente, estou a trabalhar com um bio reator para o tratamento do produto de digestão líquido (subproduto da digestão anaeróbia de águas residuais). A comunidade de algas que se desenvolve neste bio reator, utilizada nos processos de degradação, foi parcialmente removida do equipamento para que possamos procurar compostos potencialmente interessantes e úteis, obtendo valor agregado da biomassa que é o produto excedente desse tratamento», revela a estudante de Erasmus. De acordo com Ewelina Sobolewska, o objetivo final deste trabalho é encontrar a melhor aplicação para a produção de biomassa excedente que resulta dos processos de limpeza das águas residuais por intermédio das algas, [...]

Universidade de Coimbra estuda aplicação de microalgas para tratamento de efluentes de ETARs e geração de biocombustíveis2024-05-06T13:36:01+00:00

Projeto para combate ao desperdício de pescado

2024-05-06T13:25:59+00:00

Investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) e do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR-UP) integram um consórcio nacional unido para garantir a qualidade do pescado, promover a segurança alimentar e o combate ao desperdício. O Vertical Fish, enquadrado no Pacto da Bioeconomia Azul e financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência e liderado pelo grupo MC, tem o compromisso de encontrar novas ferramentas para assegurar a qualidade do peixe que chega às nossas casas, sem desperdiçar. “Quando pretendemos fazer a análise da qualidade do pescado, no momento em que o peixe chega à Lota, para ser distribuído por toda a cadeia de distribuição, temos necessidade de manusear e de destruir, pelo menos alguns peixes, para efetuar uma análise efetiva, que nunca será possível fazer em todo o peixe que será vendido, por causa do método destrutivo usado”, explica Maria João Santos, docente da FCUP e investigadora do CIIMAR-UP, que lidera o grupo WP7 – STOP Parasitas, no âmbito do Pacto da Bioeconomia Azul, no qual se insere este projeto. Assim, esta equipa de investigadores pretende desenvolver tecnologias não invasivas para análise do pescado. “Neste projeto associamos os tradicionais métodos de análise do pescado com [...]

Projeto para combate ao desperdício de pescado2024-05-06T13:25:59+00:00

O céu de maio de 2024

2024-05-02T11:01:05+00:00

O primeiro dia do mês é marcado pelo quarto minguante, uma fase lunar propícia à observação das suas crateras e montes, devido à forma como a luz do Sol incide sobre o relevo lunar. Quem não conseguir observar a Lua devido a condições meteorológicas adversas, terá uma nova oportunidade no penúltimo dia do mês. A presença da Lua junto ao planeta Saturno será outra efeméride que, neste mês, virá em dose dupla: primeiro no dia três e, seguidamente, a trinta e um de maio. No dia quatro celebra-se o trigésimo quinto aniversário do lançamento da sonda Norte-Americana Magalhães, cuja principal missão foi mapear a superfície do planeta Vénus, recorrendo para tal ao radar que levava a bordo. Esta missão terminou a onze de outubro de 1994 com a entrada da Magalhães na superfície venusiana, resultando na destruição desta sonda. Nesta mesma noite tem lugar o pico de atividade da chuva de estrelas Eta Aquáridas. O Hemisfério Sul é mais propício à observação deste evento sendo que, a cada hora, é possível observar até meia centena destes pequenas rochas e poeiras que o cometa Halley foi perdendo ao longo do seu percurso. No entanto, às nossas latitudes, mesmo em condições [...]

O céu de maio de 20242024-05-02T11:01:05+00:00

Abril 2024

Investigadores estudam novo fármaco para o tratamento do Parkinson

2024-04-30T12:05:32+00:00

Uma equipa de investigadores do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) está a trabalhar num novo fármaco para o tratamento da doença de Parkinson, mais eficiente e com menos efeitos secundários do que os atualmente usados. A doença de Parkinson é um distúrbio neurodegenerativo que resulta da perda de neurónios que produzem um importante neurotransmissor, a dopamina, responsável por processos fisiológicos como cognição, memória, emoções e o controlo do movimento. Os fármacos existentes no mercado têm como objetivo aumentar a produção de dopamina no sistema nervoso central. No entanto, ao longo dos anos, estes medicamentos perdem eficácia, havendo necessidade de administrar doses mais elevadas, o que resulta em efeitos secundários que, em muitos casos, podem até exacerbar os sintomas da doença. “O nosso alvo é diferente: focamo-nos na modulação dos recetores de dopamina”, começa por explicar Ivo Dias, investigador do Laboratório Associado para a Química Verde (LAQV-REQUIMTE) na FCUP que lidera a equipa de investigação. “O que acontece na doença de Parkinson é que os baixos níveis de dopamina não são suficientes para ativar os recetores de forma adequada e, por conseguinte, comprometem a ativação dos circuitos dopaminérgicos. O que nós [...]

Investigadores estudam novo fármaco para o tratamento do Parkinson2024-04-30T12:05:32+00:00

Estudo revela que as alterações climáticas podem tornar-se a principal causa da perda de biodiversidade até 2050

2024-04-26T14:18:01+00:00

De acordo com um estudo publicado hoje na prestigiada revista Science, a biodiversidade global diminuiu entre 2 e 11% ao longo do século XX, diminuição resultante exclusivamente das alterações na utilização dos solos. As projeções apresentadas nesta investigação sugerem que, até meados do século XXI, as alterações climáticas podem vir a tornar-se a principal causa da perda da biodiversidade. O artigo científico Global trends and scenarios for terrestrial biodiversity and ecosystem services from 1900 to 2050 – o maior estudo com recurso a modelos climáticos realizado até à data – foi liderado pelo Centro Alemão de Investigação Integrativa da Biodiversidade (iDiv) e pela Universidade Martin Luther de Halle-Wittenberg (MLU), e contou com a participação de vários investigadores portugueses, entre eles o docente da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), Carlos Guerra. A Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre a Biodiversidade e Serviços dos Ecossistemas (IPBES) considera que as mudanças no uso do solo são uma das principais causas para a perda de biodiversidade. No entanto, os cientistas dividem-se quanto à dimensão desse declínio nas últimas décadas. Para melhor responder à questão, a equipa de investigação utilizou modelos climáticos para calcular os impactos das alterações da utilização dos [...]

Estudo revela que as alterações climáticas podem tornar-se a principal causa da perda de biodiversidade até 20502024-04-26T14:18:01+00:00

Universidade de Coimbra coordena projeto europeu que visa desenvolver robótica e machine learning para agricultura digital

2024-04-26T10:00:58+00:00

A Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) está a coordenar um projeto europeu que visa desenvolver robótica e machine learning para agricultura digital. O “Artificial Intelligence and sensor-fusion systems in sustainable (Green) robotics for precision agriculture (AIGreenBots)” terá a duração de quatro anos e será financiado pelo Programa Horizonte Europa MSCA-DN com o valor global de 2,5 milhões de euros. Em colaboração com instituições de Espanha, França, Países Baixos e Reino Unido, o projeto “AIGreenBots” pretende desenvolver novas plataformas de agro-bots, perceção robótica e sistemas de fusão de sensores, testar sistemas de robótica agrícola, mas também abordar as questões de segurança e aspetos importantes da legislação. «Este projeto trata-se de uma Rede Doutoral Marie Skłodowska-Curie Actions (MSCA) que implementará uma aprendizagem multidisciplinar, desenvolvimento de carreira e investigação para nove estudantes internacionais de doutoramento», explica o coordenador do projeto, Cristiano Premebida, professor do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (DEEC) e investigador do Instituto de Sistemas e Robótica (ISR) da FCTUC. «Através de uma parceria internacional e complementar com universidades de topo, centros de investigação e partes interessadas relacionadas com a agricultura, dos diferentes países, esta Rede Doutoral tem como objetivo fornecer competências e conhecimentos [...]

Universidade de Coimbra coordena projeto europeu que visa desenvolver robótica e machine learning para agricultura digital2024-04-26T10:00:58+00:00

Cientistas criam células com potencial para o tratamento de longa duração da doença de Machado-Joseph

2024-04-23T13:59:26+00:00

Uma equipa de cientistas, liderada pela Universidade de Coimbra (UC), conseguiu gerar células estaminais humanas, a partir de células da pele, que revelaram ter potencial terapêutico de longa duração para a doença de Machado-Joseph, patologia rara, com grande incidência em Portugal. A investigação abre, assim, caminho para o desenvolvimento de células que possam vir a ser usadas no tratamento desta doença neurodegenerativa que afeta, nomeadamente, os movimentos e a articulação verbal. No artigo científico Graft-derived neurons and bystander effects are maintained for six months after human iPSC-derived NESC transplantation in mice's cerebella – publicado na revista Scientific Report, do grupo Nature – a equipa de investigação “mostra ser possível criar células estaminais a partir de células extraídas de pessoas com doença de Machado-Joseph com potencial terapêutico”, explica a investigadora do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC-UC) e do Centro de Inovação em Biomedicina e Biotecnologia (CIBB), Liliana Mendonça. A doença de Machado-Joseph é uma patologia atualmente ainda sem tratamento, que se caracteriza pela extensa morte neuronal, dificuldades de coordenação motora, de deglutição e de articulação do discurso. “A nossa descoberta demonstra a viabilidade da aplicação de terapias personalizadas a pessoas portadoras desta doença, através [...]

Cientistas criam células com potencial para o tratamento de longa duração da doença de Machado-Joseph2024-04-23T13:59:26+00:00

Estudo revela subestimação dos valores de dependência dos polinizadores na agricultura e destaca a sua importância

2024-04-22T13:24:41+00:00

Um estudo internacional conduzido por investigadores da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), em parceria com a Universidade Federal de Goiás, Brasil, revelou que mais de 74% das culturas polinizadas por animais dependem fortemente dos polinizadores, contribuindo com mais de 40% da sua produção agrícola. A investigação revela ainda que as metodologias atuais de determinação da dependência dos polinizadores tendem a subestimar a sua importância na produção agrícola. O artigo científico, publicado na revista científica Journal of Applied Ecology, conta com a participação de Catarina Siopa, Sílvia Castro, João Loureiro e Helena Castro, investigadores do Centro de Ecologia Funcional (CFE) do Departamento de Ciências da Vida (DCV) da FCTUC. A equipa contou também com a importante colaboração de Luísa Gigante Carvalheiro, investigadora da Universidade Federal de Goiás. O objetivo principal desta investigação foi «atualizar e avaliar os valores de dependência dos polinizadores em culturas agrícolas a nível global», revela Catarina Siopa, aluna de doutoramento na FCTUC e primeira autora do estudo. Estes valores são «cruciais para compreender e quantificar a contribuição dos polinizadores na produção agrícola e são utilizados para orientar políticas e práticas de gestão visando uma produção sustentável de alimentos», assegura a investigadora. [...]

Estudo revela subestimação dos valores de dependência dos polinizadores na agricultura e destaca a sua importância2024-04-22T13:24:41+00:00
Go to Top