Maio 2024

Universidade do Minho participa em consórcio para criar as baterias da próxima geração

2024-05-23T10:34:47+00:00

O Centro de Química da Escola de Ciências da Universidade do Minho está a desenvolver um eletrólito à base de celulose para as baterias da próxima geração, que vão ser em estado sólido e recicláveis. A investigação insere-se no consórcio “New Generation Storage (NGS)”, liderado pela dstsolar e que junta 49 empresas e instituições portuguesas para o fabrico e a recuperação sustentável de baterias, contando com 111 milhões de euros de financiamento do PRR até 2026. Este cluster quer transformar toda a cadeia de valor nacional de produção de componentes, packs e reciclagem de baterias, contribuindo para a eletrificação completa da mobilidade do país até 2035 e a transição energética da União Europeia até 2040. As atuais baterias de iões de lítio estão a atingir o seu limite a nível de tensão das células e taxas de carga rápida. As futuras baterias em estado sólido (geração 4b) vão poder melhorar a densidade de energia, o armazenamento sustentável e a segurança. Cada grupo de trabalho do NGS é responsável pela constituição de uma parte das baterias, que será depois testada numa instalação piloto no Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos Funcionais e Inteligentes (CeNTI), em Famalicão, explica Maria Manuela Silva, do Centro de Química [...]

Universidade do Minho participa em consórcio para criar as baterias da próxima geração2024-05-23T10:34:47+00:00

Abril 2024

Universidade de Coimbra coordena projeto europeu que visa desenvolver robótica e machine learning para agricultura digital

2024-04-26T10:00:58+00:00

A Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) está a coordenar um projeto europeu que visa desenvolver robótica e machine learning para agricultura digital. O “Artificial Intelligence and sensor-fusion systems in sustainable (Green) robotics for precision agriculture (AIGreenBots)” terá a duração de quatro anos e será financiado pelo Programa Horizonte Europa MSCA-DN com o valor global de 2,5 milhões de euros. Em colaboração com instituições de Espanha, França, Países Baixos e Reino Unido, o projeto “AIGreenBots” pretende desenvolver novas plataformas de agro-bots, perceção robótica e sistemas de fusão de sensores, testar sistemas de robótica agrícola, mas também abordar as questões de segurança e aspetos importantes da legislação. «Este projeto trata-se de uma Rede Doutoral Marie Skłodowska-Curie Actions (MSCA) que implementará uma aprendizagem multidisciplinar, desenvolvimento de carreira e investigação para nove estudantes internacionais de doutoramento», explica o coordenador do projeto, Cristiano Premebida, professor do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (DEEC) e investigador do Instituto de Sistemas e Robótica (ISR) da FCTUC. «Através de uma parceria internacional e complementar com universidades de topo, centros de investigação e partes interessadas relacionadas com a agricultura, dos diferentes países, esta Rede Doutoral tem como objetivo fornecer competências e conhecimentos [...]

Universidade de Coimbra coordena projeto europeu que visa desenvolver robótica e machine learning para agricultura digital2024-04-26T10:00:58+00:00

Vacinas e pandemias

2024-04-15T14:33:42+00:00

Mary Wortley Montagu (1689-1762) foi uma escritora e poetisa notável. O nome da aristocrata inglesa ficaria para a História por vários motivos, mas o destaque primordial são as suas “Embassy Letters”. Publicadas postumamente, estas cartas retratam de forma apaixonada a riqueza cultural e social da Turquia otomana. A 1 de Abril de 1717 Mary Montagu escreve à sua amiga Sara Chiswell dizendo que iria “contar uma coisa que te fará desejar estar aqui”. Em Sófia, a escritora inglesa visitou um hammam. E nesse dia foi revelada, para parte do mundo ocidental, uma das descobertas mais importantes. Cerca de duzentas mulheres, sem distinção social estavam todas num “estado natural, ou, em linguagem comum, nuas em pelo”. Mary ficou impressionada com esta liberdade e igualdade entre elas, mas reparou, essencialmente, numa característica surpreendente. As turcas tinham “pele branca e brilhante”, sem marcas de qualquer doença. Tendo sobrevivido à varíola a inglesa sabia bem como eram terríveis as marcas na pele dos poucos que não faleciam. Ela escreveu “a varíola tão fatal e generalizada entre nós é aqui totalmente inofensiva pela invenção da implantação, que é o que lhe chamam”. E a aristocrata não se limitou a descrever o que viu. Ela [...]

Vacinas e pandemias2024-04-15T14:33:42+00:00

Junho 2023

Vamos legalizar a Procuradoria Ilícita?

2023-06-13T09:37:34+00:00

O Governo do PS entendeu que era possível alterar de forma profunda todos os Estatutos das Ordens Profissionais, em 10 dias. Claro que começa por ser o primeiro a incumprir os seus próprios prazos, e por isso decidiu criar, dentro das várias ordens, uma primeira e segunda liga, tendo apresentado até à data apenas 8 dos 20 estatutos. Contudo, bem sabemos, o que move estas alterações legislativas é a vontade de desregular completamente as profissões, esbatendo as suas fronteiras, e acima de tudo a ingerência nas associações públicas profissionais, que devem ser sempre independentes. Não cabe, pois, ao Governo, pelo menos num estado de direito democrático, decidir a forma como se regem as Ordens Profissionais. Mas ainda assim entendeu o Governo impor a criação de órgãos nas associações públicas profissionais com maioria de membros não inscritos nas mesmas, e a quem dará poderes de decisão em matérias como o estágio profissional e a imposição de taxas e emolumentos. Esta alteração, trazida pela nova lei das associações públicas profissionais, consegue ainda modificar a forma como as sociedades profissionais laboram em Portugal, passando a deixar que estas existam sem qualquer controlo das respetivas associações, não existindo forma de garantir que quem [...]

Vamos legalizar a Procuradoria Ilícita?2023-06-13T09:37:34+00:00

Fevereiro 2023

Premio Arquivo.pt

2023-02-15T18:37:38+00:00

Estão abertas as candidaturas ao prémio Arquivo.pt. O Prémio Arquivo.pt tem como objetivo galardoar anualmente trabalhos inovadores realizados com base na informação histórica preservada pelo Arquivo.pt. Os trabalhos realizados devem ser aplicações práticas ou estudos baseados na informação acessível através do Arquivo.pt, que demonstrem a utilidade deste serviço público e a importância de preservar a informação publicada na web. Os trabalhos podem incidir sobre temas de qualquer área (ex. Educação, História, Sociologia, Comunicação, Saúde, Informática). Candidaturas A consulta atenta das seguintes referências é essencial para a candidatura de trabalhos: Regulamento do Prémio Arquivo.pt 2023 Edital do Prémio Arquivo.pt 2023 Requisitos técnicos do vídeo Descarregar documento-modelo da descrição dos trabalhos (.docx) Temas Os trabalhos podem versar sobre qualquer tema, desde que se recorra ao Arquivo.pt como principal fonte de informação. As candidaturas ao Prémio deverão demonstrar claramente a utilidade do Arquivo.pt para o trabalho submetido. Quem pode concorrer? Qualquer pessoa pode concorrer com um trabalho realizado utilizando o Arquivo.pt. Os trabalhos podem ser realizados individualmente ou em equipa. Contudo, a candidatura será submetida em nome de uma única pessoa responsável. Os trabalhos não premiados em edições podem voltar a ser submetidos. Prémios 1º classificado: 10 000 € 2º classificado: 3 000 € 3º classificado: 2 000 € Menção Honrosa AMCC – [...]

Premio Arquivo.pt2023-02-15T18:37:38+00:00

Estudo conclui que estuários com ervas marinhas expostas a efluentes de ETAR são mais saudáveis

2023-02-15T16:10:33+00:00

Um estudo, em que participa o Departamento de Ciências da Vida (DCV) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), concluiu que as ervas marinhas nos Estuários do Tejo e Sado expostas a efluentes de uma Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) e de uma fábrica de alimentos são mais saudáveis. De acordo com Arthur Veronez, investigador do Centro de Ecologia Funcional da FCTUC, este estudo pretendeu «analisar a saúde das manchas de ervas marinhas sujeitas a concentrações variáveis de nitrogénio e fósforo como consequência de adições antropogénicas em espaços naturais. Neste âmbito, foram também realizadas reanálises e comparações entre estudos realizados anteriormente em diferentes localidades do mundo (Brasil, Costa Rica, Ilhas Britânicas, Irlanda e Itália) para diferentes espécies com habitats e influências antropogénicas parecidas». A investigação “Seagrasses benefit from mild anthropogenic nutrient additions” teve como foco, em Portugal, os prados de Zostera noltei (espécie de erva marinha) do Centro e Sul do país. «Os prados monitorizados nos estuários do Tejo e do Sado e na Ria Formosa apresentam ervas menores, indicação de que são mais saudáveis, sob concentrações moderadas de nutrientes na água», revela o coautor do estudo. No estuário do Tejo «os prados [...]

Estudo conclui que estuários com ervas marinhas expostas a efluentes de ETAR são mais saudáveis2023-02-15T16:10:33+00:00

Dezembro 2022

Como criar boas palavras-chave

2022-12-27T18:51:57+00:00

Todos os dias utilizamos passwords para acesso aos mais variados serviços ou aplicações. Uma password, senha, palavra-chave ou passe serve para aceder a estes serviços através de autenticação fidedigna de identidade e garantia pessoal de acesso. Estas são por norma privadas para o utilizador e devem ser bem salvaguardadas para evitar roubos de identidade e fraudes de identidade. A salvaguarda de uma password começa logo na sua criação. Ao gerar a sua senha, o utilizador deve ler atentamente as regras de formulação da mesma. Esta deve ser tão complexa quanto a criticidade do serviço a que se destina. Pode usar uma palavra-chave fraca para aceder ao site de um jornal, mas é evidente que a palavra-chave que usa para o seu mail deve garantir maior segurança e a que usa para consultar ou movimentar a sua conta bancária deve ter uma complexidade ainda mais elevada. Um cuidado a ter na criação de uma boa palavra-chave é o de não usar elementos pessoais associados a si ou conhecidos por mais pessoas que não o próprio, tais como: datas de nascimento, partes do nome e apelidos, morada, números de identidade, contribuinte, etc. É relativamente fácil obter esta informação a respeito de qualquer pessoa e testá-la [...]

Como criar boas palavras-chave2022-12-27T18:51:57+00:00

O céu de dezembro de 2022

2022-12-02T12:33:09+00:00

Vamos começar este mês “a correr”. Por estar mais próxima do Sol, a Terra completa uma volta à nossa estrela mais rápido do que o planeta Marte. Assim, de 26 em 26 meses, a Terra dá uma volta de avanço ao planeta “vermelho”. Mas isso também significa que os dois planetas se encontram no ponto de maior aproximação, a cada 26 meses. Como a órbita de Marte é mais elíptica do que a da Terra, a maior aproximação entre os dois planetas não ocorre sempre à mesma distância, podendo variar entre os 55 e os 101 milhões de quilómetros. A dia 1 de dezembro de 2022, a Terra alcançou a maior aproximação com Marte em 26 meses, com os dois planetas a uma distância de aproximadamente 82 milhões de quilómetros. Neste dia a Lua passou a apenas 5 graus de Júpiter e no dia 7, o nosso satélite está a cerca de 4 graus de Marte. Por causa da forma da órbita marciana, apesar da maior aproximação ocorrer no dia 1, o planeta só atinge a oposição, isto é, o ponto em que o Sol, a Terra e Marte estão perfeitamente alinhados, no dia 8 de dezembro. A oposição [...]

O céu de dezembro de 20222022-12-02T12:33:09+00:00

Novembro 2022

Imprensa e música: indústria e partidos políticos defendem medidas de apoio no OE 2023

2022-11-21T13:32:57+00:00

  A AFP – Associação Fonográfica Portuguesa, a Audiogest – Associação para a gestão e distribuição de direitos, API – Associação Portuguesa de Imprensa, a AIC – Associação de Imprensa de Inspiração Cristã e a Visapress - Gestão de conteúdos dos media, c.r.l congratulam- se pelas propostas de alteração ao Orçamento do Estado para 2023 apresentadas por todos os partidos com assento parlamentar, as quais espelham de forma transversal as medidas há muito pedidas pelo setor. Nesse sentido, as associações apelam aos deputados e à maioria parlamentar para que não percam esta oportunidade de garantir o futuro da imprensa e da edição musical no país. Há mais de uma dezena de anos que as associações do setor da Imprensa alertam os sucessivos Governos para a necessidade de um plano de emergência para a sustentabilidade das empresas editoras de jornais e revistas. Tantos anos quantos os que passaram em branco nos respetivos Orçamentos do Estado, sem uma linha de apoio ao setor que continua a ser o garante da liberdade, luta contra a desinformação e democracia portuguesas. Pelo contrário, ao longo deste período, as políticas públicas para a Imprensa não sofreram nenhum tipo de atualização, apesar das dificuldades com que [...]

Imprensa e música: indústria e partidos políticos defendem medidas de apoio no OE 20232022-11-21T13:32:57+00:00

Equipa da Universidade de Coimbra desenvolve novos bioprocessos para reciclar resíduos de painéis fotovoltaicos

2022-11-16T13:20:39+00:00

De olhos postos no futuro, uma equipa de investigadores e alunos da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) está a desenvolver um projeto que aposta na criação de um processo inovador para reciclar resíduos de painéis solares, que são altamente tóxicos para o meio ambiente, através da utilização de bactérias que os captam, permitindo a sua utilização em áreas como a Biomedicina e a Biotecnologia. Sendo Portugal um país que aposta na produção de energia solar gerada através de painéis fotovoltaicos, o “SUSTe - Development of SUStainable and integrative bioprocess for the recovery of TellurIum-based nanoparticles from photovoltaic wastes” foi pensado para resolver um problema ambiental que ainda não existe, mas que há de chegar: o que fazer com tantos painéis solares em fim de vida? A solução proposta pela equipa liderada por Jorge Pereira, investigador do Centro de Investigação em Engenharia dos Processos Químicos e dos Produtos da Floresta (CIEPQPF), Departamento de Engenharia Química da FCTUC, passa por, através de um modelo de economia circular, «dar uma segunda vida aos metais. Neste caso, é pegarmos num metal, o telúrio, um resíduo dos painéis fotovoltaicos, e dar-lhe um valor acrescentado. Por exemplo, se for na [...]

Equipa da Universidade de Coimbra desenvolve novos bioprocessos para reciclar resíduos de painéis fotovoltaicos2022-11-16T13:20:39+00:00
Go to Top